Dicas para uma apresentação eficiente e dentro do tempo!

Apresentações de trabalhos acadêmicos são muito comuns no Ensino Superior ou na Pós-Graduação. Em alguns cursos é exigência para a defesa da monografia, dissertação ou tese, mesmo que os membros da banca tenham lido com a maior atenção o seu trabalho.

Algumas pessoas travam quando pensam em falar em público ou simplesmente estouram o tempo estipulado pelo orientador – este foi o meu caso na defesa de minha dissertação de mestrado, confesso. Minha orientadora falou que eu tinha entre 20 e 30 minutos para apresentar o trabalho todo… o tempo, contudo, foi pouco e acabei correndo contra ele para terminar de passar todos os slides.

Por conta dessa experiência e por saber que não sou o único que estoura o tempo proposto, aqui vão algumas dicas valiosas tanto para a elaboração quanto para a apresentação em si.

 

  • Faça uma apresentação curta apenas com palavras-chaves, citações muito importantes ou gráficos fundamentais.

Colocar trechos muito longos de seu trabalho pode mostrar que você não sabe do que está falando e precisa colar dos slides apresentados para poder falar algo. Sendo assim, se limite a tópicos, eles devem ser estratégicos para apresentar o assunto com poucas palavras e te guiar nos assuntos que precisa falar. Se optar por colocar citações, não escolha aquelas muito grandes e tente grifar o(s) trecho(s) mais importante(s) dela. Um trecho em negrito ou sublinado, por exemplo, atrai a atenção da plateia para a importância daquela citação e te ajuda a lembrar o porquê ela está lá.

 

  • Evite cores muito chamativas.

Você não precisa fugir de seu estilo pessoal e das cores que mais gosta, contudo, é importante pensar no seu público. Usar amarelo ou verde-limão em um fundo branco, por exemplo, prejudica a leitura de qualquer um, inclusive você. O preto no branco é sempre a melhor opção porque é gera uma apresentação limpa e muito fácil de visualizar. Se optar por cores, pense bem qual é o fundo que está usando. Por falar em fundo, não use imagens que cansem a vista. Há exceções, obviamente… um estudante de Artes Visuais ou de Comunicação, por exemplo, pode optar estratégicamente por usar este tipo de imagem para provocar um impacto no público que tem relação com o tema do trabalho. E um detalhe que pode parecer simplório, mas não é: pode haver pessoas daltônicas no público!

 

  • Se informe sobre seu tempo disponível e cronometre sua apresentação.

Estourar o tempo da apresentação não é algo muito interessante. Sua orientadora ou seu orientador começa a dar sinais, os membros da banca ficam impacientes e o público perde o interesse. Antes de mais nada se informe sobre o tempo disponível. A partir daí faça uma apresentação que se encaixe neste tempo e use um celular ou iPad para marcar o tempo. Coloque o dispositivo de pé virado para você em um lugar que seja de fácil visualização. Evite marcar o tempo com um relógio de pulso, você ficará olhando para ele e passará a impressão de que está com pressa demais.

 

  • Ensaie!

Esta é uma dica que parece desnecessária, mas se você conhece seus defeitos e limitações, ela tem seu valor. Se você sabe que costuma falar mais que o necessário, o ensaio garante que você teste tanto os slides que você fez quanto pratique o que é ou não necessário falar. Se existir uma cobaia por perto (amigo, namorado, irmão, irmã e etc…) peça para que a pessoa assista à sua apresentação. Aproveite este momento para perguntar ao seu público-cobaia se sua fala está clara e se as explicações são fáceis de entender.

 

  • Observe sua linguagem

Por falar em fala clara e explicações fáceis de entender, observe sua linguagem e conheça o seu público. O objetivo de apresentações de monografia, dissertaçõe e teses é mostrar para a banca que você domina o assunto que escreveu. Além disso, você pode apresentar seu trabalho para um público leigo que não tem o mesmo entendimento do assunto que você e os membros de sua banca. Neste caso, observar a linguagem utilizada é muito importante. Evitar ou explicar termos técnicos de sua área garante uma comunicação efetiva e também mostra seu conhecimento na área.

 

  • Laser, usar ou não usar?

Se sua apresentação possui gráficos ou você irá apresentar imagens com detalhes (como obras de arte, por exemplo) pode ser interessante usar um laser para conduzir a atenção do público. No caso de gráficos, por exemplo, você poderá apontar com mais facilidade os números, as variações ou as porções mais relevantes para sua apresentação. No caso de obras de arte ou reportagens, o laser aponta os detalhes ou trechos que você analisou no trabalho. É uma ferramenta interessante e pode ser substituída, por exemplo, por uma varinha ou uma espada do Star Wars, isso se for possível fazer uma apresentação mais informal e engraçada.

 

  • Condense imagens com textos

Uma estratégia interessante para economizar tempo é unir imagens e textos em um mesmo slide. Assisti à uma apresentação certa vez na qual a mestranda analisou vários sites de instituições ligadas ao Ministério da Ciência e Tecnologia do Brasil. Ao longo dos slides nos quais havia conceitos teóricos ela colocou imagens dos sites analisados. A estratégia permitiu que ela apresentasse duas coisas ao mesmo tempo e ela não precisou criar slides com as fotos dos sites antes de mostrar os resultados da pesquisa e as conclusões finais.