Mídias sociais: Assessoria de Imprensa sem imprensa?

Ao procurar emprego na área de Comunicação hoje em dia, vagas relacionadas às Redes Sociais são as mais divulgadas e valorizadas pelas grandes empresas. Desde que a internet se fortaleceu no Brasil, no final da década de 1990 e início dos anos 2000, o jornalismo tradicional tem enfrentado uma forte crise que pode ser resumido à competição com as redes sociais.

Embora veículos de comunicação mantenham sua credibilidade como fontes de informação e como agentes formadores da opinião pública, as redes sociais estão tomando proporções cada vez maiores na forma como empresas e pessoas se comunicam. Esse fatos nos faz pensar: mídias sociais são uma forma de “Assessoria de Imprensa” sem imprensa?

Livros sobre Assessoria de Imprensa mais “antigos” (ou com cerca de dez anos), falavam que uma das atividades dos profissionais da área era a de divulgar notícias sobre empresas assessoradas e conseguir espaços nos jornais sobre suas ações e lançamentos. Os famosos “releases” eram a ferramenta utilizada para essa divulgação.

Instituições públicas ainda mantém essa atividade básica com a intenção de divulgar suas atividades (obras, lançamentos, campanhas, etc.). Embora ainda consigam divulgar essas informações em jornais impressos ou digitais, as empresas têm nas redes sociais o potencial de se comunicar diretamente com o público sem a intermediação da imprensa.

Seria, portanto, os cargos para administração de redes sociais a nova “Assessoria de Imprensa”, sem a imprensa? Sim, alguma dúvida? Essa realidade faz parte da crise da imprensa. Uma prefeitura que contrata um profissional para administrar suas mídias sociais consegue visibilidade e popularidade nas redes sociais ao se apropriar da linguagem dos internautas. Compartilhamentos no Facebook crescem quando internautas se identificam e riem com as publicações.

Para além do humos, as respostas do público são rápidas, instantâneas. Divulgar uma nova praça (ainda considerando uma prefeitura como personagem) pode ser uma forma de manifestação de cidadãos infelizes com a administração atual. Sendo assim, além de servirem como um veículos de comunicação, as redes sociais são um canal de comunicação valioso em nossa realidade profissional.

A Netflix, empresa de streaming de filmes e séries, tem se destacado nesse cenário. Tente mencionar a empresa, questioná-la ou publicar imagens relacionadas às suas produções originais e provavelmente receberá um comentário escrito do perfil da empresa.

O relacionamento entre empresa e consumidores, instituições e cidadãos, personalidades e fãs, está cada vez mais dinâmica e faz dos profissionais de comunicação um elemento chave. A atualização é sempre necessária e estar atento à linguagem da internet e de seu público alvo são requisitos para esse tipo de atividade.